sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Pra 2018

Não preparei nada especial pra 2018. Nem nada que não fosse especial. Não fiz a lista de querências que eu sempre faço (mesmo porque eu sei de cor o que eu quero e as querências que não mudam de um ano pra outro).

Mas fiz algumas coisas.

Comprei dois calendários de mesa. Um pro home-office, um pra agência. Sempre ganhava um ou mais, mas agora resolvi comprar um bem colorido, do jeito que eu queria. Não consigo mais ficar sem o calendário ao lado, mesmo sabendo que posso abrir o do computador. A questão é facilitar a minha vida, e se eu olho pro lado e vejo o mês desenhado, consigo me planejar melhor. Há anos eu falo que o planejamento faz toda a diferença. Ao menos pra mim, sem planejamento não tem ação realizada direito. E o calendário faz parte disso.

O calendário colorido.
Com a Kakamora que a Maria fez pra mim.
E com a Matrioska que a Nara trouxe da Rússia. 

Separei um monte de livros de literatura que quero ler este ano. Junto com eles vai um tanto de não ficção, mas não acadêmicos, que também quero ler. Estão no móvel ao lado do meu criado-mudo, em três pilhas. Provavelmente, será uma lista #fail, porque eu já sei que não terei tempo pra todos eles. Meu combinado comigo mesmo é que eu tiver lido ao menos a metade até o fim de 2018, está ótimo.

O plano financeiro está ok, o plano de lugares para ir está definido, o plano de trabalho está devidamente documentado e prontíssimo pra ser executado. O plano de estudos, que é o principal pra mim, está bem encaminhado. Tem um monte de anjos acadêmicos na minha vida (só pra citar alguns: Ana Paula, Luana, Nara, Debora, Marcelo, Mario) que estão colaborando muito. Os livros e textos a serem lidos estão organizados. O material a ser escrito, também.

A casa está organizada também. Não que esteja tudo no lugar, mas está quase tudo lá. Mas ainda tem uma lista de coisas que devem ser observadas - a proposta é que esteja tudo realizado até o fim do ano. A lista tem a ver com minimalismo sim. Porque quanto menos, mais. E casa grande faz a gente querer guardar muitas coisas, porque tem espaço. A lista de livros de literatura vai passar pela lista do minimalismo: acabei de ler, será doado. Se for a cara de alguém que eu conheço, vai pra essa pessoa. Se for a cara de alguém que eu não conheço, vai pro Twitter - ofereço meus livros lá de vez em quando e tem dado certo.

O resumo é que estamos caminhando praquela leveza que eu queria aqui há muitos anos. Tudo tem funcionado, tudo está fluindo bem. Isso não significa que estamos livres de percalços, mas que até isso está sendo tranquilo. E isso é lindo!

_______________
Aline, que prefere ser chamada de Lile. Ou de Nine...